Como começar a ser freelancer (guia completo)

8 comments

Como começar a ser freelancer


"Gostei dessa história de trabalhar online. Mas como começar a ser freelancer?"

Muita gente quer trabalhar de casa, mas sequer tenta. Um dos motivos é que começar qualquer coisa nova na vida é difícil. Envolve pesquisa e a exploração de áreas que a gente não conhece. Sair da nossa zona de conforto sempre dá medo. E medo a gente perde conhecendo melhor a coisa nova. Então vamos ver certinho, passo-a-passo, como começar a ser freelancer.

A intenção é que depois de ler este artigo você dê o pontapé inicial e consiga o seu 1º job online!


Este artigo já é o 2º sobre ser freelancer. Recomendo que você leia também o 1º: O que é e por que ser freelancer. 
Esse artigo também está disponível em vídeo:



1. Ser freelancer é para você?

Você pode achar essa pergunta boba, mas ela é essencial.

Ser freelancer envolve estar correndo sempre atrás das coisas - e por conta própria. Em geral você está sozinho, sem ninguém pra te ajudar, e precisa dar um jeito. Se não consegue arranjar trabalhos, vai ter que pesquisar e melhorar para conseguir um. Se não sabe usar certa ferramenta ou programa, vai ter que procurar aulas e tutoriais para aprender uma nova habilidade. Nada vem fácil e tudo exige esforço, então se você é alguém que se sente mais confortável recebendo orientações, somente ouvindo dos outros o que deve fazer, talvez possa encontrar dificuldades.

Outra questão é: pra que você quer virar freelancer? As vantagens de trabalhar em casa dão brilho nos olhos de muitos, mas tem gente que sustenta família, ou que está no vermelho financeiramente, e não poderia se arriscar numa carreira online que é pra lá de incerta. Apesar disso, vale lembrar que você pode trabalhar quanto tempo quiser, então não precisa necessariamente deixar o seu trabalho para começar a fazer freelas. Muita gente encara o trabalho pela internet como uma forma de complementar a renda. Se você chega do seu trampo habitual e ainda tem energia pra gastar, é uma ótima oportunidade.

Isso também vale para estudantes que não têm tempo para arranjar um estágio daqueles de 4 horas por dia, por exemplo. Fazer freelas online é um jeito de já ir construindo sua carreira e criando um portfólio mesmo antes de sair do colégio/faculdade. Fazendo freelas você já tem a oportunidade de meter a mão na massa de verdade e ser tratado como um trabalhador respeitável que presta serviços. Nada de fazer cafézinho, levar documentos na mesa dos outros ou ser chamado de "estagiário" toda hora por 400 ou 500 pilas por mês.

Então, ser freelancer é pra você?

2. O que você sabe fazer?

Esta talvez seja a parte mais importante de como começar a ser freelancer. Você até pode chegar num site de freelas disposto a fazer qualquer coisa, mas isso pode não ser bom para você no médio e longo prazo. Cada vez mais as pessoas buscam especialistas - alguém que traduza conteúdo especificamente sobre videogames ou alguém que saiba gerenciar especificamente contas do Pinterest, por exemplo. Se você se posiciona como um faz-tudo, a percepção da qualidade do seu trabalho fica mais baixa. "Mas o que esse cara realmente faz?". Ser pau pra toda obra online não é a melhor das ideias.

A melhor ideia é escolher uma habilidade que você tenha e que possa usar para trabalhar online. O que você sabe fazer de bom? Tem gente que escreve, desenha, traduz, programa, edita vídeos, tira fotos, faz animações, gerencia redes sociais e por aí vai. Provavelmente você já possua alguma habilidade como essas.

Se você acha que não tem nenhuma habilidade, pense melhor. Eu achava que não tinha habilidade nenhuma. Como trabalhava como Gerente de Comunidade na minha antiga empresa, tentei me posicionar assim na internet. Mas encontrei dificuldades, porque a quantidade de vagas pra essa posição é escassa. Comecei a fazer outros trabalhos e o blog me ajudou: "porra, eu sei escrever!" Não sou nem de longe um super escritor profissional, mas consigo transmitir ideias com palavras, meu português é bom e já tenho alguma experiência escrevendo. Por que não? Hoje em dia escrevo profissionalmente para outras empresas.

Eu já tinha aquela habilidade, mas não sabia. Não tinha parado pra pensar que a minha escrita poderia ser minha principal arma. Talvez você também tenha alguma habilidade assim. Você fala alguma língua estrangeira? Pode virar tradutor. Você tem uma voz daquelas de comercial? Compre um microfone decente e busque trampos de voice over.


3. Sites para freelancer

Beleza, você já definiu quais habilidades vai usar para trabalhar. Mas... onde conseguir trabalho?

Há inúmeras formas de conseguir trabalho freelancer. Eu pessoalmente uso sites para freelancer, que funcionam como grandes mercados de compra e venda de serviços. Empresas ou indivíduos que precisam de algo feito - como um logo, uma tradução ou de alguém para gerenciar um e-commerce - postam vagas de trabalho, descrevendo o que deve ser feito e o quanto será pago. Os freelancers interessados olham estas vagas e decidem se querem se candidatar ou não. É igualzinho conseguir trabalhos comuns: você procura vagas na internet, decide quais são boas para você e manda seu currículo. A única diferença é que a versão "mandar currículo" dos freelancers é ter um perfil caprichado nos sites para freelancer, mas a lógica é a mesma.

Acho importante fazer esta comparação entre buscar empregos normais e freelas pois o assunto é meio místico pra muita gente. Alguns acham que é algo de outro mundo buscar trabalho online, mas encontrar as vagas é mais fácil do que parece.

Sem mais delongas, vamos falar dos sites! Há vários e vários sites para freelancer. Alguns portais são gerais, com vagas para todos os tipos de trabalho, enquanto outros são mais específicos, somente para escritores, por exemplo. Pela quantidade de opções ser muito grande, vou me ater a 3 plataformas: as 2 maiores internacionais e uma grande nacional.

Recentemente lancei um artigo mais completo, dando outras opções (com muitos detalhes). Vale a pena dar uma olhada: Sites para freelancer: por onde começar.

Upwork

Logo Upwork
Este é o principal site que uso. O Upwork nasceu da junção dos antigos Odesk e Elance, que eram então os 2 maiores sites de freelas. Ele é enorme e tem como grande vantagem uma infinidade de jobs postados. Muito popular (acho que todo mundo que faz freelas conhece), a plataforma é fácil de usar e o suporte ao freelancer é muito bom.

Os lados negativos: as taxas cobradas começam em 20% do que você ganha! Se você achava que freelancer não pagava imposto, tá aí. Não é governamental, mas funciona como um imposto de renda retido na fonte. A taxa é bem salgada, apesar de diminuir para 10% e 5% conforme você vai ganhando mais dinheiro com um certo empregador. Além disso, o site é todo em inglês e chuto que uns 95% das vagas postadas também são em inglês. Na prática, isso significa que você precisa ter proficiência profissional no seu inglês se quiser trabalhar por lá. Além de usar o site em inglês, você vai precisar discutir detalhes com seu cliente em inglês e possivelmente entregar partes do trabalho (ou ele todo) em inglês. Então se você não manja do idioma eu realmente não recomendo, já que pode acabar tendo problemas de comunicação e manchando sua reputação como freelancer.


Freelancer

Logo Freelancer
O Freelancer é uma plataforma internacional, mas que também está disponível em português. Para aproveitar o potencial completo do site, é melhor usar a versão em inglês. Mas por lá rolam muitas vagas em português, de empregadores brasileiros, então você também pode usar caso não fale o idioma.

O site é intuitivo de navegar e funciona da mesma forma que os outros: procure vagas que lhe interessam e se candidate. As taxas cobradas do freelancer são fixas em 10%, porém o número de jobs a que você pode se candidatar na versão gratuita do site é baixo: 8.

O Freelancer garante que é o maior site de freelas no mundo.


99freelas

Logo 99freelas
O 99freelas é uma plataforma 100% brasileira que vem crescendo bastante. Lá você só vai encontrar empresas e freelancers brasileiros. Por ser tudo nacional e em português, é uma boa pedida caso você não fale inglês.

As taxas: 10% + R$ 0,40 por pagamento recebido.


Outros métodos

Os sites para freelancer são as únicas formas de buscar oportunidades? Evidente que não. Tem gente que começa mais local, perguntando a parentes e amigos se conhecem alguém que precisa de tal serviço. Se alguém indicar um contato e você fizer um trabalho bem feito, aquele contato pode te recomendar para outros e a sua rede de clientes vai aumentando - aliás, as recomendações são base para muitos freelancers conseguirem novos trampos. Outras pessoas são mais agressivas e distribuem panfletos ou colam cartazes oferecendo seu serviço. Tem gente ainda mais sapeca que escolhe as empresas com quem quer trabalhar e vai, na tremenda cara de pau, entrar em contato com a empresa tentando oferecer seus serviços. Muitas vezes não funciona, mas às vezes rola. Alguns criam sites profissionais online, como se fossem empresas, e vendem os serviços por ali.

A possibilidades são inúmeras, basta ter criatividade e determinação. Eu abordei os sites de freelas como principal forma de conseguir trabalho online porque é assim que eu faço, além de ser mais confortável poder fazer tudo na frente do computador. Mas se você tem pressa e disposição para buscar outras abordagens, vai fundo! Nada deve impedir você de tentar vender aquilo que você faz de bom.

4. Criando seu perfil

Agora é só se cadastrar em um desses sites e começar a criar seu perfil.

Seu perfil é muito, muito importante. Lembre-se que online o seu perfil é o seu currículo. Por isso, capriche. Se for pra se cadastrar em um site desses deixando tudo incompleto, por preguiça de preencher campos e fornecer informações, nem se dê ao trabalho. Estamos falando aqui de um ambiente profissional, portanto seja profissional e se esforce. Há dezenas de milhares de outras pessoas buscando trabalho online. Muitas delas não capricham na hora de fazer o perfil. Portanto, se você caprichar já estará saindo na frente de um monte de gente!

Meus perfis estão longe de serem obras-primas. Por isso eu não posso usar de charlatanismo pra vir aqui dar fórmulas milagrosas de como fazer a coisa bem feita. Mas posso dar algumas dicas básicas (algumas de puro bom senso) que podem ajudar. Vamos por etapas:

Título

Em todas as plataformas online você poderá inserir um título - uma frase ou algumas palavras descrevendo o que você faz.

Como começar a ser freelancer - título

Isso não parece ter relevância, mas tem. Na verdade este título é um dos principais fatores considerados nos motores de busca dos sites para freelancer. Isso significa que se um cliente procurar "designer" e você não tiver esta palavra no seu título, provavelmente você jamais aparecerá nos resultados da busca. Da mesma forma, quando um cliente cria uma vaga de trabalho algumas plataformas recomendam freelancers ideais para aquela vaga - e usam o título como fator fundamental pra saber quem é ideal ou não.

Se você estiver usando uma plataforma internacional, talvez seja uma boa seguir o 2º exemplo da imagem e botar as palavras tanto em português quanto em inglês. "Translator" garante que você aparecerá para os gringos, enquanto "Tradutor" pode te botar em contato com brasileiros. Mas cuidado: títulos longos demais podem ser prejudiciais. Passe o olho no 1º exemplo da foto e vê se fica claro pra você o que aquele rapaz faz de melhor. Nem tanto, né? Então se o seu título for de médio pra grande, evite botar em 2 línguas para não deixar o negócio enorme e tirar a atenção de quem está lendo. Lembre-se sempre: um cliente tem em mãos dezenas de candidatos àquela vaga que ele criou e provavelmente vai olhar seu perfil por menos de 10 segundos pra decidir se você já está eliminado de cara ou se ele vai considerar a sua contratação.

Então foco nas palavras-chave! Se você traduz, não esqueça de incluir "Translator" ou "Tradutor". Se você é especialista em tradução de artigos financeiros, não esqueça de incluir isso lá também. Lembre-se que quanto mais genérico, mais competição você enfrentará - quantas pessoas não botam "translator" no título? Quanto mais específico, mais chance você terá de ser encontrado por aquele cliente que busca exatamente o que você faz. Repare que o 3º exemplo da foto, apesar de claro, sucinto e fácil de ler, é bastante genérico. Já o 1º exemplo, apesar de ser longo e cheio de termos técnicos, já é mais específico - se alguém procurar "Cross-platform Software" provavelmente vai encontrar aquele rapaz. Então tente balancear entre o geral e o específico, o muito curto e o muito longo.

Descrição

A descrição do seu perfil é onde você vai vender seu peixe.

Repare que a limitação de caracteres neste campo é bastante grande, então você pode acabar com vontade de escrever textões enormes com tudo o que você já fez na sua vida profissional. Mas cuidado: às vezes menos é mais. Como ressaltei, um empregador pode apenas dar uma olhadela no seu perfil pra decidir se você está dentro ou fora, então procure ser sucinto e colocar informações pertinentes apenas ao serviço que você exerce.

Digamos que você tem experiência profissional em uma firma. Lá você trabalhava com contabilidade, ajudava na gestão de projetos e traduzia documentos da filial estrangeira. Vale a pena colocar todas essas experiências na sua descrição? Muito provavelmente não. Se você está se vendendo online como gestor de projetos, ressalte somente esta parte da experiência. Se sua habilidade é com tradução, ressalte o que você fazia em termos de tradução. Imagine a sua descrição como uma forma de provar para os clientes por que você é bom naquilo que colocou no título.

Como começar a ser freelancer - descrição


Uma técnica que gosto é trocar o texto descritivo da descrição por uma lista mais direta. Ao invés de "Eu sou fulano, me formei em tal universidade, trabalhei com tal e tal coisa", considere utilizar algo como:

- Bacharel em XXX
- XX anos de experiência com XX
- ...

Repare como no exemplo da imagem, a 1ª descrição é bastante curta e gera uma reação instantânea de quem lê: "10 anos de experiência! Trabalhou para Mercedes e Petrobras!" Já a segunda, por melhor e autêntico que seja o texto, já dá preguiça de ler na hora. Caso mesmo assim você queira fazer uma descrição em texto e bem detalhada, considere começar com uma seção em lista, como se fosse um resumo das coisas mais importantes, e só então partir para o seu texto.

Por último, vale lembrar que os sites para freelancer são ambientes profissionais e altamente pragmáticos. Por isso, ninguém quer saber do seu estado civil, da sua crença religiosa, dos seus hobbies, se você é ou não é um sonhador. Não encha o seu perfil com esse tipo de informação, é irrelevante. Pesquisei muitos perfis de freelancers para escrever este post e encontrei cada coisa... não seja um desses.

Foto

A foto é uma questão de puro bom senso. Primeiro e mais importante, coloque uma foto. Pior que uma foto ruim é ter aquele avatar padrão de quem acabou de se cadastrar. Aquilo acaba com a sua reputação, ninguém vai botar fé numa pessoa que não se deu ao trabalho de completar o básico do próprio perfil.

Já vi gente colocar logo da sua própria empresa, logo pessoal ou até um avatar de desenho na foto, mas não aconselho. Primeiro que algumas plataformas, como o Upwork, sequer aceitam que você coloque uma foto que não seja de você mesmo. Segundo que quando você está contratando alguém, quer ter a mínima confiança de que aquela pessoa é real. Uma foto passa essa confiança, um logo nem sempre. Apesar de existirem perfis de muito sucesso usando logos, eu não recomendo.

Quanto à sua foto, de novo caímos no bom senso. Não coloque algo muito escuro e procure não usar fotos pixeladas. Você está em um ambiente de trabalho, então procure não botar foto sem camisa, com o cabelo revirado, fumando, bebendo, etc. Precisa ser uma foto de terno com fundo branco? Claro que não, pode ser um pouco informal, mas não exagere. Você sorrindo na rua é perfeito, você mostrando a língua numa festa não. Na dúvida pergunte para si mesmo: se eu estivesse contratando e visse uma foto como essa, eu contrataria?

Como começar a ser freelancer - foto

Sua foto não precisa ser perfeita, só precisa mostrar o seu rosto claramente - levando o bom senso em consideração. Claro que tudo é discutível, não sou senhor da verdade. Logos, por exemplo, podem fazer todo o sentido para quem é designer, mas nem tanto para um tradutor ou gerente de projetos.

"Ah, mas a foto é tão importante assim?". Com certeza não tão importante como outros fatores. Mas estamos falando de um mercado concorrido que é o de freelas online, então qualquer detalhe pode fazer a diferença.

Portfólio

Que trabalhos você fez no passado e pode exibir?

Como começar a ser freelancer - portfólio
Portfólio simples com artigos escritos pelo freelancer

Ter um portfólio, ou uma galeria de trabalhos passados, é essencial. Mas nem todo mundo consegue preencher a seção de portfólio dos sites. São dois os principais problemas:


1) Eu não tenho trabalhos passados

"Como começar a ser freelancer se não tenho nada para mostrar?"

Neste caso, você deve ser paciente e ir adicionando trabalhos ao seu portfólio conforme você vai fazendo. Claro que não ter nada para mostrar pode dificultar você ser contratado, mas não impossibilita. Eu mesmo comecei sem portfólio - e até hoje o meu é meia-boca.

Outra alternativa é trabalhar de graça! "O quê? De graça??? nem que a vaca tussa!!111!". Não estou sugerindo que você se candidate a trampos online sem cobrar nada. Quando falo em trabalhar de graça é oferecer seus serviços para outras pessoas como forma de criar um portfólio. Se você faz sites, que tal fazer um site na faixa pra padaria da esquina? Ou se faz logos, que tal fazer um para o canal de games do seu amigo?

Se você não tiver como fazer nada de graça para os outros, faça para você mesmo. Faça um site pessoal, faça logos fictícios. Anunciar que você é um escritor mestre em games não vale muita coisa, mas ter alguns artigos bem escritos sobre games vale muito. Escreva para si mesmo! Cadastre-se no Medium e comece a escrever alguns artigos caprichados para ter o que mostrar. Quer mostrar suas habilidades de tradução? Há diversas empresas, sites, blogs e até canais do YouTube que aceitam tradutores voluntários hoje em dia.

Fazer algo na faixa pode parecer contraditório, já que estou tentando ajudar você a ganhar dinheiro online. Mas sabe aquela história de dar um passo atrás para depois dar dois na frente? É isso.


2) Eu não tenho como (ou não posso) mostrar trabalhos passados

Talvez você tenha feito trabalhos com informações confidenciais da empresa, ou tenha assinado um Acordo de Não Divulgação com seu cliente, e assim não pode mostrar o trabalho que você fez. Outro caso acontece quando você trabalha com coisas específicas, digamos contabilidade, e colocar um monte de planilhas no seu portfólio não vai lá ajudar muita coisa na hora de vender seu peixe.

Esta é uma situação de difícil solução, mas vale seguir a mesma recomendação de antes e fazer trabalhos apenas com o intuito de mostrá-los. Se as planilhas de contabilidade não vão ajudar você a exibir suas qualificações, talvez um artigo bem redigido sobre contabilidade ajude. Caso não possa divulgar uma pesquisa que fez para a sua empresa, use seus conhecimentos para pesquisar uma outra área que você goste e exiba os resultados online.

Outras infos

Todos os sites pedem outros campos que você deve preencher. Alguns solicitam que você use tags para descrever o que faz, outros pedem informações como empregos passados e formação educacional, etc. Em geral esses outros campos não fazem tanta diferença como os que abordei com detalhes, mas caso você tenha dúvidas em qualquer um deles é só deixar alguma coisa nos comentários que vou tentar ajudar, beleza?


5. O primeiro freela

Perfil de responsa pronto! Chegou a hora de você começar a trabalhar.

Como um usuário novo de qualquer plataforma, você ainda não terá experiência e avaliações - em alguns sites, não terá estrelinhas, selos ou nota. Com isso, mesmo com um perfil caprichado você pode ter dificuldades para encontrar o primeiro freela.

Basicamente você tem 2 opções:


1) Começar de baixo

Começar de baixo significa procurar trabalhos menores, que paguem menos. Quando uma empresa está disposta a desembolsar mais grana para um freelancer, provavelmente ela procurará alguém que já possui experiência comprovada para demonstrar. O mesmo vale para trabalhos de longo prazo: só vou contratar alguém com vistas a desenvolver uma relação profissional duradoura se acredito que aquela pessoa é qualificada - e sem referências fica difícil provar que você é. Com trampos menores e que pagam pouco, essas limitações não acontecem. Portanto, esse tipo de trabalho é uma ótima forma de começar.

Conforme você vai fazendo trabalhos, vai adicionando experiência ao seu currículo virtual e pode começar a olhar para projetos que paguem melhor, aumentando o seu preço gradativamente até alcançar um nível que você deseje.

Muita gente começa assim e eu aconselho.


2) Começar de cima

Este é o caminho que eu fiz. Quando comecei eu não estava com pressa para encontrar trampos, afinal eu já tinha meu trabalho fixo. Por isso, pude ser mais seletivo e, mesmo sem ter experiência online alguma, comecei a me candidatar para vagas que já pagassem valores maiores. Este orgulhinho acabou me custando, pois demorei bastante a conseguir meu primeiro job. Depois, demorei para conseguir o segundo e por aí vai. Mesmo já tendo uma experiência bacana, ainda hoje muitas vezes sinto dificuldade para conseguir novos trampos que paguem aquilo que eu desejo receber. Quando a coisa aperta, aceito trabalhar por menos, mas quando não aperta acabo sendo exigente.

Essa forma, portanto, pode ser a mais difícil de começar. Comigo não funcionou muito bem - o tempo que gastei pra conseguir 1 único trabalho poderia ter sido gasto fazendo outros trampos e construindo minha reputação online. Como não recomendo, vamos prosseguir aqui no artigo abordando a estratégia de começar de baixo, beleza?

Procurando vagas

Chegou a hora de procurar emprego, finalmente! Procurar trabalho online é muito fácil. Todos os sites para freelancer possuem uma barra de busca. Na barra, insira termos relativos ao que você faz.

Como começar a ser freelancer - sites para freelancer

Se você traduz, pode ser uma boa começar usando o termo "tradutor" ou "tradutor" + a área em que você quer traduzir, como "tradutor marketing", por exemplo. Mas não se atenha. Fazer buscas pode parecer algo banal, mas você perderá oportunidades se não usar a sua criatividade! Digamos que um empregador crie uma vaga de trampo para tradução, mas ao invés de usar algo como "preciso de tradutor" ele use "preciso de tradução". Assim, se você buscar somente por "tradutor" não encontrará o job. Por isso, use todas as variações que lembrar. Ainda usando o exemplo de quem traduz, alternativas a "tradutor" seriam: tradução, traduzir, traduza, linguista e por aí vai.

Uma dica é usar termos errados. Por exemplo, muitos gringos não sabem escrever "portuguese" e acabam usando um H no meio, ou deixando um U de fora. Por isso, vale a pena procurar por variações como "portughese" ou "portugese". Só por que o cara errou na hora de escrever nossa língua não significa que aquele job não deve ser olhado com carinho.

Como começar a ser freelancer - vagas
Procure vagas com as características que você deseja

Quando encontrar vagas que lhe interessam, não esqueça de olhar detalhes como: nível de experiência requerido, o quanto paga, se é de curto ou longo prazo e por aí vai.

Em alguns sites é possível ver qual foi a atividade daquela vaga, ou seja, quantas pessoas se candidataram, quantas foram entrevistadas e quantas contratadas. Se você encontrar uma vaga que já foi postada há tempos, é bem possível que ela já tenha recebido muitas candidaturas. Quando 20 ou 30+ pessoas já se candidataram, eu nem perco meu tempo. Pela minha experiência, as chances de contratação são pequenas e não valem o esforço. Por isso é importante estar sempre nos sites buscando novos trampos - se você for um dos primeiros a se candidatar suas chances são maiores. O mesmo vale para vagas em que alguém já foi contratado ou que pessoas já foram entrevistadas. Nestes casos, o processo seletivo já avançou uma fase e dificilmente o empregador vai voltar um passo atrás para continuar a ver novas candidaturas que chegam. Mas não esqueça: se você encontrar a vaga dos sonhos, candidate-se não importando o cenário! Arrisque!

Se candidatando

Escolheu uma vaga? Chegou a hora de clicar no botão e se candidatar. Nesta hora, há dois pontos essenciais em qualquer plataforma de freelas:


1. Preço

Muitos empregadores escolhem freelancers com base quase que exclusivamente no preço. Como nesse começo estamos buscando jobs que paguem pouco mesmo, precisamos ter a certeza de sermos uma entre as opções mais baratas que o cliente terá. Quando for bidar (definir seu preço), coloque de 10 a 30% mais baixo do que orçamento definido para o job. Quando o orçamento estiver em um intervalo ao invés de um valor fixo (ex: 10~50 reais), certifique-se de bidar de 10 a 30% mais baixo que a média. Estamos tentando nos diferenciar pelo preço, passando pelo menos na 1ª eliminatória que qualquer empregador faz - a de cortar quem é caro demais.

Agora no começo a preocupação é mais em conseguir os primeiros jobs e obter avaliações/referências do que ganhar dinheiro, beleza? Depois, conforme seu perfil for ficando mais robusto, você pode sem problemas começar a aplicar para jobs que paguem mais

"Se é pra cobrar pouco, por que não fazer de graça?". A resposta é simples. Se você oferecer de graça ou com um preço absurdamente baixo, digamos 90% mais baixo que o orçamento do cliente, não será levado a sério. O empregador se perguntará por que diabos você está cobrando tão abaixo do que ele está disposto a pagar. Fazer isso é pedir para ser ignorado.


2. Cover letter

Este é o ponto-chave de qualquer candidatura. Uma cover letter, ou algo como carta de candidatura ou carta de apresentação, é onde você vai vender o seu peixe e explicar para o cliente por que você é ideal para aquela vaga. A cover letter é um pouco como a descrição do seu perfil, com a diferença que no seu perfil você fala de maneira geral, enquanto que na cover letter você fala de maneira específica para a vaga em que está aplicando.

Há alguns pontos básicos de uma cover letter. Primeiro, seja cordial e educado com a pessoa que está lendo do outro lado. Na minha opinião, um "Olá Fulano" é um bom jeito de começar. Depois, pince os pontos-chave da vaga, veja quais desses pontos batem com a suas qualificações e ressalte tudo isso. Digamos que a vaga peça candidatos com no mínimo 2 anos de experiência. Então você tem que ressaltar quanto tempo de experiência possui. Se o empregador deseja alguém que já trabalhou com assunto X, descreva os outros trabalhos que você fez com assunto X, fale da sua familiaridade com o tema e se possível mande arquivos ou links comprovando trabalhos passados. Se a vaga pede alguém que esteja disponível sempre, ressalte como você está sempre online pronto para atender o cliente. 

A cover letter é o seu espaço para convencer o cliente a te contratar, mas não abuse no tamanho. Lembre-se que você quer chamar a atenção do empregador rapidamente, deixando claro quais são os pontos mais relevantes.

Esperando

Pronto! Agora você já sabe como começar a ser freelancer, já aplicou para a sua primeira vaga e só precisa esperar a resposta do cliente, né??

É CLARO QUE NÃO.

O mercado online é muito competitivo. Assim como você, outras dezenas ou até centenas de candidatos podem aplicar para a mesma vaga. Isso significa que você pode ter que aplicar para 5, 10, 20 ou até 50 vagas para conseguir um mísero job sequer! E ainda dizem que freelancer não trabalha!

Conseguir jobs, principalmente bons jobs, é difícil até para quem já tem experiência. Se você aplicar 1 ou 2 vezes e ficar esperando, muito provavelmente não vai conseguir nada. Você precisa correr atrás, se candidatar a uma porção de vagas e de repente se cadastrar em vários sites diferentes para aumentar as chances de ser contratado.

Não deixe que a frustração te impeça. Trabalhar online não é fácil, principalmente nessa parte de conseguir ser contratado. Se você aplicar para 50 vagas e não conseguir nada, não deixe isso parar você. Analise o que você pode melhorar. De repente uma nova abordagem na cover letter? De repente você está cobrando muito, ou muito pouco?

Muitos empregadores abrem vagas, recebem candidaturas e não contratam ninguém! Isso é muito mais comum do que você imagina. Eu costumo anotar todas as vagas para as quais aplico e, depois de uma ou duas semanas, vou lá ver o que aconteceu caso eu não tenha sido contratado. Pasme: mais da metade das vezes a vaga é abandonada. Ninguém é entrevistado, ninguém é contratado. É difícil evitar, mas é inútil ficar frustrado por não conseguir. Às vezes a culpa não é sua - o empregador simplesmente não contratou ninguém.

Como começar a ser freelancer - vagas
Muitos jobs nunca ganham vida: sem contratações, sem entrevistas, fechados ou cancelados

A verdade é dura

Como ressaltei no primeiro artigo sobre freelas, minha intenção jamais foi de criar aqueles conteúdos estilo "ganhe dinheiro fácil" ou "trabalhe de casa e ganhe 10 mil por mês!!". 

Não é porque eu incentivo todo mundo a trabalhar de casa que a coisa é fácil. Não é porque o freelancer tem mais liberdade no trabalho que a coisa é fácil. Ser freelancer pode ser difícil e não é pra qualquer um.

Se você não consegue se destacar em nenhuma habilidade que tenha, ou se não possui requisitos básicos como um português (ou inglês) bem escrito, por exemplo, pode ter ainda mais dificuldades. Ser contratado online é parecido com ser contratado por qualquer empresa: se você não tiver algo de bom, não terá chances. Mas caso você acredite na sua habilidade, vai fundo! Eu espero do fundo do coração que este artigo possa ter ajudado você a dar o primeiro passo para ser freelancer.

Sei que o artigo ficou longo pra caramba, mas minha intenção foi de entrar nos mínimos detalhes para garantir que até o mais perdido dos internautas saia daqui sabendo como começar a ser freelancer.

Perguntas frequentes

Quero responder tanto em vídeo quanto nesta parte do post as dúvidas que a galera tem. Por isso, use e abuse dos comentários para deixar qualquer dúvida. Qualquer mesmo, da mais simples à mais complexa. Não sou nenhum guru dos freelas ou um cara ultra bem sucedido trabalhando online, mas creio que tenho condições de ajudar muita gente, então sinta-se à vontade!



Por último, se você acha que trabalhar online pode ser algo legal para aquele seu amigo que está infeliz no trabalho, ou para aquele primo que tá precisando de uma grana extra, compartilhe este artigo! Vai me ajudar muito e creio que pode ajudar outras pessoas também!

Muítíssimo obrigado! :)


8 comentários:

  1. Cara, artigão esse hein?! Voltando aos textões informativos rsrs. Ainda não li, tô vendo agora, mas não posso deixar de ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande né cara? Quis fazer bem detalhado. Ultimamente minhas criações estão mais pendendo pro informativo do que pro crítico, mas a ideia é sempre balancear. :D

      Excluir
  2. Olá gostaria de agradecer pelo informativo e irei tentar seguir suas dicas mais se conseguir me dar uma informação seria de grande ajuda
    Minha esposa tem um excelente português
    É digita bem em qual tipo de jobs ela deve procurar ficamos um pouco perdidos por terem muitas opções
    É mais uma vez obrigado pelas dicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo, eu que agradeço por passar por aqui.

      Se sua esposa escreve bem, pode começar a procurar jobs de escritora ou "copywriter". Geralmente há vagas das mais diversas, tanto para escrever posts de blogs dos mais variados temas como escrever materiais publicitários, por exemplo. Outra dica é simplesmente navegar por todas as vagas disponíveis em um site como o 99freelas e ir vendo quais ela poderia fazer. Assim dá para ter uma ideia melhor de quais jobs disponíveis são compatíveis com as habilidades dela!

      Espero ter ajudado, qualquer outra dúvida é só perguntar. Boa sorte!

      Excluir
  3. Muito bom o artigo, você abordeu de uma forma realista e objetiva, pois ninguém merece aqueles posts apelativos "Ganhe 5mil,10mil foratemers por mês sem sair de casa". Também sei que existem empresas como Appen Butter Hill que oferecem freelas como avaliador de motores de buscas, é um assunto bacana. No mais obrigado pelo post e fico aguardando novidades ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém merece esse tipo de artigo mesmo, tento me distanciar o máximo possível dessas coisas. Eu que agradeço por passar aqui e comentar! =))

      Excluir
  4. Parabéns por essa série sobre o trabalho Freelancer.
    Um dos melhores artigos que já li na internet.
    Você é, modestamente, um excelente escritor.
    c.m.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa meu amigo, muito obrigado pelas palavras. Fico feliz que tenha gostado!

      Excluir

Seu feedback é muito importante pra mim! Me diz aí o que você achou :))

2Bits. Tecnologia do Blogger.