Sobre dormir MENOS e como regular o sono

11 comments

O sono para alguns é assunto sagrado.

A pessoa fica com sono e parece que tudo na vida vira uma merd* se ela não for dormir. Fica mal humorada, perde a energia, não consegue aproveitar mais nada. Só uma bela noite de sono cura.

Mas dormir muito faz mal, não só fisicamente. Até por isso algumas pessoas já levam o sono mais numa boa. Se der pra descansar bem, ótimo. Se não der, o mundo não acaba - pelo contrário, menos tempo na cama significa mais tempo vivendo.

Dormir muito faz mal?

O sono é importante, sem dúvidas. Renova as nossas energias e principalmente regenera o corpo. É durante o sono que o nosso organismo, sem precisar gastar energia pra fazer quase nada, aproveita pra dar uma recauchutada em si mesmo. As células do corpo se regeneram e as do cérebro podem até se reproduzir com mais velocidade depois de uma bela noite dormida.

O sono na verdade é um assunto muito complexo. Há pesquisadores que há décadas se dedicam a estudar os efeitos do sono no corpo e fazer testes para determinar os melhores horários para dormir, a quantidade de horas necessárias e uma porrada de outras coisas que fazem toda a diferença para nós.

Mas apesar de ser importante para o corpo e também ser gostoso demais (quem não gosta de uma boa dormida?!), dormir muito faz mal. Sequer me refiro a possíveis problemas que o sono exagerado causa no corpo, mas sim ao fato de que o sono pode ser interpretado como completa e absoluta perda de tempo.

Parece absurdo? Calma aí, deixa eu tentar explicar.

Ouvi que o sono é perda de tempo pela primeira vez quando era adolescente. Eu estava conversando com um colega pelo falecido MSN e já eram altas horas da madrugada. A gente começou a falar sobre ir dormir, ou sobre o como já era tarde, quando ele me veio com esse papo.

Disse que dormir era perda de tempo. Que enquanto você dorme, o mundo acontece lá fora enquanto você está desligado. Que dormir é jogar fora, todos os dias, uma parte valiosa do recurso mais valioso que temos - nosso tempo de vida. E quase sem querer, falou algo que influenciou mais de uma década da minha vida. Foi algo mais ou menos assim:

"Temos que dormir, mas não precisa ser tanto. Durante a semana, durmo o menos possível para poder fazer outras coisas com o meu tempo livre. Se eu chegar cansado no final de semana, aí sim durmo bastante para recuperar as energias para a semana que vem vindo."

Passei a acreditar muito nisso. De fato, dormir é jogar tempo fora. Se posso dormir 6 horas todos os dias, ao invés de 8, por que não? 2 horas a mais por dia, de segunda a sexta, resultam em 10 horas a mais por semana. São quase 2 dias completos de vida ganhos em apenas 1 mês! É quase um mês de vida ganho em apenas 1 ano. É quase um ano de vida ganho em apenas uma década. Tempo que você não estaria ativamente vivendo. É muita coisa.

Os números chegam a assustar. Se dormirmos 8 horas por dia, todos os dias, passamos 1/3 da nossa vida na cama. 33% do nosso valioso tempo na Terra destinado ao descanso. E não aquele descanso gostoso na praia ou no parque, mas um descanso "inútil", que gera resultados maravilhosos no final (acordar descansado), mas que é irrelevante durante o processo (a não ser que você tenha sonhos maravilhosos). Considerando que dormimos muito mais que 8 horas quando somos bebês e que provavelmente ficaremos mais tempo na cama quando formos bem velhinhos, dá pra chutar que uns 40% da nossa vida será passado na horizontal.

Os números assim, tão claros na minha frente, me assustam. E não sou o único.


Dormir menos vale a pena?

Essa questão depende de cada um. Há quem ache o sono sagrado, há quem não dê muita bola para ele. Além dessa questão de gosto pessoal, há outro fator muito importante: ter ou não ter algo para fazer acordado.

Se você é daqueles que reclama do tédio da vida, de que não tem nada pra fazer nunca, com certeza essa conversa não faz muito sentido. Por que você abriria mão de deliciosas e importantes horas de sono para passar mais tempo acordado fazendo nada?

Mas o tédio da vida acordada não é um fator externo. A vida não é entediante, você que é.

Peguei meio pesado, mas é verdade. Se você não se sente motivado a fazer nada ou não sabe procurar o que te deixa feliz, o problema está em você, não no mundo ou na vida em geral.

Se você sabe disso e quer aproveitar cada segundo seu nesse planeta, a questão do sono se torna relevante. Seja um trabalho que você ama, seja um hobby do qual nunca se cansa, seja filhos ou outros amores com quem aproveita cada segundo junto, passar mais tempo acordado passa a valer a pena. A questão não é parar de dormir, o que seria uma loucura absurda, mas dormir menos. Dormir 6 ao invés de 8 horas, ou 7 ao invés de 9~10 se você dorme um pouco a mais. Estar acordado para viver a vida vale a pena.

Até agora falei de dormir menos por escolha, mas tem também o caso do ser humano moderno.

Esse ser humano não escolhe dormir menos porque quer, ele é forçado a dormir menos porque é "necessário". Necessário para poder trabalhar o dia inteiro, estudar à noite e ainda ser produtivo na empresa enquanto tira notas boas na faculdade. Como dormir menos libera mais horas no dia, torna-se necessário para que o indivíduo faça mil coisas ao mesmo tempo, que nem sempre fazem ele feliz, mas que tomam tanto tempo que o sono vira artigo de luxo. Você certamente já passou por algo assim na vida. Eu já.

Quando fazia 2 faculdades, às vezes chegava tarde da noite em casa e ainda tinha que estudar ou fazer algum trabalho para entregar na manhã seguinte. Para dormir 8 horas acordando diariamente às 6:30 da manhã, deveria ir pra cama às 22:30, mas obviamente não era o que acontecia. Muitas vezes ia dormir 1 ou 2 da manhã, fazendo coisas que precisavam ser feitas - ou fazendo "vários nada" na internet, pra que mentir né!? Passava muitas manhãs cochilando na sala de aula e, quando chegavam as aulas da noite, já estava acabado de cansado. Pra quebrar esse ciclo de pouco descanso e muita atividade cerebral, às vezes me entupia de café, o que causava um efeito bem indesejado: as horas de sono à noite se transformavam em horas de insônia. Um completo caos sonífero, causado pelos dias do mundo moderno que parecem um busão lotado: sempre cabe mais alguma coisa.

Manter uma rotina arrombada dessa porque você é obrigado certamente não é saudável. Tira seu descanso, seu corpo perde energia, seu cérebro perde potência e você muitas vezes se sente infeliz. É nessas horas que começamos a nos comportar como bons cidadãos do mundo moderno e viramos fãzassos do final de semana. Contamos os dias para a sua chegada e torcemos por ele desde domingo à noite.

Mas se as suas horas de sono forem reduzidas de forma controlada, sem exageros e por vontade própria, creio que traz benefícios.

Como regular o sono

Dormir menos é uma coisa, mas ficar com os horários de sono bagunçados é outra.

Até pouco tempo eu trabalhava até às 3 da manhã e ia dormir perto de umas 5. Pra fechar 6 horinhas de sono por dia, tinha que acordar às 11 (ou 11:30, vai!), que era minha meta diária.  Comecei a acordar depois do meio-dia com frequência, o que me levava a só sentir sono de novo ainda mais tarde da noite (madrugada). Por vezes, ia dormir às 6, ou quando o dia já estava nascendo. Comecei a acordar depois da 1 da tarde, às vezes às 2...

Eu AMO a madrugada. Acho que rendo mais nela e o sentimento de estar acordado enquanto todos dormem é algo que me atrai. Silêncio e calmaria também ajudam a transformar esse momento do dia em um oásis de criatividade e produtividade. Mas acordar todos os dias depois da 1 da tarde já é demais.

O dia de verdade, com horas de claridade e sol na rua, começa a ficar reduzido. Se levanto às 2, já tenho pouco tempo para decidir se vou sair de casa para fazer algo na rua. Isso tudo em meio a cafés da manhã e almoços sempre fora de hora. O dia já vai acabando, a noite baixando. A madrugada tá vindo e ela me ama, mas o sol é vida e nos leva pra fora das 4 paredes da nossa morada. Ele nos motiva a sair e fazer coisas ao ar livre, ou ao menos passar pelo ar livre enquanto vamos para outro lugar fechado. Ele é luz, literalmente, e ilumina a nossa vida. Perder mais da metade da sua presença por conta de um sono desregulado é exagero.

Por isso, resolvi regular meu sono de novo.

Regulando o relógio biológico

Quando entrava de férias da faculdade ou do colégio, muitas vezes seguia por esse caminho de ir dormir depois das 6 da manhã. Pra acertar o meu relógio, escolhia um dia próximo da volta às aulas para não dormir. Virava a noite e zumbizava no outro dia até estar morrendo de sono na parte da noite. Aí, ia pra cama no horário "certo" - digamos umas 11 da noite - e pronto: no dia seguinte acabava acordando bem cedinho e meu sono tava regulado. Essa é, pra mim, a melhor técnica de como regular o sono.

Mas ela tem consequências. Não dormir uma noite quer dizer que o dia seguinte é quase perdido. A deprivação do sono - diferente de apenas dormir menos horas - deixa o seu cérebro funcionando meio capenga. Por isso, uma abordagem alternativa é dormir BEM POUCO de um dia pro outro e seguir a mesma lógica de ir dormir cedo no dia seguinte. Se venho dormindo às 6 e acordando às 13, por exemplo, boto o relógio para às 10 da manhã, o que me dará 4 míseras horinhas de sono e me fará estar cansadão quando a noite chegar. Aí, é só cair na cama na hora "certa" e no dia seguinte o sono tá regulado. Enquanto escrevo este post, estou exatamente nessa parte do processo - indo pra cama no horário "certo" depois de ter dormido bem pouco na noite anterior.

...

Opa, acordei às 8:30 da manhã, algo impensável há 1 dia atrás. Isso vai me fazer ter sono lá pelas 11 da noite. Em breve meus horários estarão mais regulados! ;)

Conclusão

Que puta post estranho. Acho que nunca escrevi nada assim aqui no blog. Só quis passar a mensagem de que dormir é bom e é importante, mas dormir em demasia é perda de tempo de vida.

Não sei se biologicamente homens e mulheres diferem quanto ao sono, mas a mensagem desta frase é clara

Vale também atentar ao fato de que, assim como dormir pouco, dormir muito faz mal sim, como aborda este artigo aqui.

Além disso, se o seu sono está escambalhado, uma noite de sacrifício resolve tudo. Não durma por um dia - ou durma bem pouco - e caia na cama na hora que deseja definir como um horário fixo pra dormir. Pronto! Quando você menos esperar, o seu sono estará mais certinho que criança que não come doce nem escondido dos pais.




Diz aí: tudo que eu falei parece absurdo demais? Ou você concorda que tentar maximizar o tempo vivendo é uma boa?

Ajude a enriquecer a discussão comentando como são seus hábitos de dormir. São bagunçados ou mais regradinhos? Você dorme muito ou pouco?

Blogar só é legal com a interação de quem lê! Deixe um comentário! ;)


11 comentários:

  1. Texto muito necessário . Será uma motivação para mudar minha rotina! VALEU XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só de saber que o texto serviu para alguém, já valeu a pena o esforço empregado nele. Obrigado pelo apoio, Lucas! ;)

      Excluir
  2. O mundo acaba pra mim mesmo se fico com sono, tenho narcolepsia, é tenso. Já dormi dirigindo, na frente do chefe etc.
    Queria dormir menos também (acho perda de tempo dormir tanto, como você falou) mas o meu organismo não facilita. Passo os dias com sono. Tem gente que lida bem com uma noite mal dormida, mas eu uma noite mesmo bem dormida não é suficiente.
    E o tratamento pra narcolepsia não é tão de fácil acesso. O medicamento pra ajudar a ficar acordado é de controle e muitos neurologistas simplesmente não querem a burocracia de ter a folhinha de controle. Vou ter que pagar 300 reais numa consulta com um neurologista especialista. É complicado. :/
    Sei que é exceção haha, mas é um exemplo que nem sempre é uma preguiça ou incapacidade das pessoas de lidarem, é um problema, uma doença, que incomoda e demais pra TUDO no dia-a-dia.

    ResponderExcluir
  3. Aliás, já tentei tudo quanto é coisa pra regular meu sono - dormir muito, dormir pouco, dormir 6h, 8h... mas nada deu muito resultado, durante o dia sempre sinto um sono extremo em alguns momentos, como se fosse deprivação de sono, o cérebro não funciona. Enfim, horrível.
    Mas faz sentido essa técnica, se você for dormir com bastante sono é mais natural e fica mais fácil manter o horário depois.

    ResponderExcluir
  4. Aliás, já tentei tudo quanto é coisa pra regular meu sono - dormir muito, dormir pouco, dormir 6h, 8h... mas nada deu muito resultado, durante o dia sempre sinto um sono extremo em alguns momentos, como se fosse deprivação de sono, o cérebro não funciona. Enfim, horrível.
    Mas faz sentido essa técnica, se você for dormir com bastante sono é mais natural e fica mais fácil manter o horário depois.

    ResponderExcluir
  5. O mundo acaba pra mim mesmo se fico com sono, tenho narcolepsia, é tenso. Já dormi dirigindo, na frente do chefe etc.
    Queria dormir menos também (acho perda de tempo dormir tanto, como você falou) mas o meu organismo não facilita. Passo os dias com sono. Tem gente que lida bem com uma noite mal dormida, mas eu uma noite mesmo bem dormida não é suficiente.
    E o tratamento pra narcolepsia não é tão de fácil acesso. O medicamento pra ajudar a ficar acordado é de controle e muitos neurologistas simplesmente não querem a burocracia de ter a folhinha de controle. Vou ter que pagar 300 reais numa consulta com um neurologista especialista. É complicado. :/
    Sei que é exceção haha, mas é um exemplo que nem sempre é uma preguiça ou incapacidade das pessoas de lidarem, é um problema, uma doença, que incomoda e demais pra TUDO no dia-a-dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de ser excessão, seu caso é bastante relevante sim. É uma situação onde fica complicado levar em consideração tudo que eu falei antes, já que o caso é diferente. Espero que consigas lidar com isso melhor a cada dia, realmente deve ser um incômodo em várias situações. =/

      Obrigado por participar aqui! ;)

      Excluir
  6. O texto traz um bom ponto. Mesmo assim, tem que se levar em conta outro lado: dormir o tempo necessário para você faz seu cérebro funcionar melhor, e principalmente sua memória. Já é comprovado que é durante o sono que criamos memórias de longo prazo, e fazemos as associações que precisamos fazer. Não acho que temos que dormir menos, mas temos que dormir o quanto nosso corpo precisa. Essa história de 8 horas de sono não é uma regra. Tem gente que dorme 6 e já tá renovado. Tem gente que precisa dormir 9. A questão é achar quanto tempo seu corpo precisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com tudo, Bruno. A questão é que muitas vezes dormimos mais do que precisamos, ou seguimos a regra das 8 horas sem saber que talvez dormir 6 ou 7 já seja suficiente para nós. De forma alguma quero que alguém prejudique a própria saúde deixando de dormir o necessário, mas incentivo que o tempo na cama seja limitado ao que é preciso. O que passar disso vira tempo desperdiçado, vida jogada no lixo. Obrigado por comentar!

      Excluir

  7. Eu infelizmente não durmo bem há um bom tempo... e já convivo com os efeitos deletérios sobre minha memória, ajo no cotidiano ao “Alzheimer style”, esquecendo de coisas que acabei de pensar e lembrando subitamente de coisas remotas. Entendo bem a precisa diferença entre dormir o necessário e o sono bagunçado, e obrigado pela dica para regular o sono ou botá-lo nos trilhos.

    Já cheguei a dormir menos de 01 hora pra ter que aguentar 04 horas de uma mesma aula enfadonha! Nem entro em detalhes sobre o contexto desse mau hábito, mas é uma amostra do quão já fui desorganizado com meu tempo e negligente com meu corpo (que é um sobrevivente!).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa questão da memória é curiosa para mim. Também tenho tido problemas com ela, que nunca me faltou durante o colégio e a faculdade. Mas tenho minhas dúvidas se isso possui qualquer relação com o sono. Mas mesmo se não tiver, um sono regulado é essencial pra gente descansar e se sentir bem, desde que as horas dormindo não sejam em excesso. Valeu por comentar, Darley!

      Excluir

Seu feedback é muito importante pra mim! Me diz aí o que você achou :))

2Bits. Tecnologia do Blogger.