Por que casar pode não fazer sentido?

7 comments
Por que casar? Por que não casar?

"Aaaah, e quando vão casar?"

Essa pergunta é infalível. Sempre que alguém começava a falar do meu namoro, eu sabia que ela viria. Começavam perguntando a quanto tempo estávamos juntos. Com o tempo passando a contagem foi subindo: 2, 3, 4, 5, quase 6 anos! É bastante tempo. Tempo suficiente para a pessoa do outro lado se sentir quase na obrigação de perguntar sobre casamento. Ou de soltar a 2ª frase mais dita nessa situação: "quando vai parar de enrolar a moça?".


Mas casamento é obrigação?

Essas perguntas eram feitas por pessoas que pensam diferente de mim quanto ao casamento. Elas acham que é o caminho natural para uma relação feliz e duradoura. Não só natural, é quase como um passo obrigatório. É a consolidação do amor. É um carimbo da sociedade estampando as testas dos noivos e dizendo: eles são felizes!

Mas é preciso?

Estou há anos com a minha companheira, numa relação estável e duradoura. Estamos felizes como nunca e fazemos planos para o futuro. Viajamos em dupla por 3 continentes. Já moramos juntos e separados, em diferentes situações. O relacionamento é muito bom. Então por que casar? Ou melhor: o que o casamento acrescentaria na nossa relação?


Tradição

Vejo que muitos casais não se fazem essa pergunta. Casam porque precisam casar, porque é o caminho natural. Porque é a tradição que vem sendo repetida há séculos. Mas quais as vantagens reais do casamento? Pouco se questiona.

Tiro desta discussão aspectos religiosos, já que não sou religioso e não tenho como me colocar no lugar de alguém que se casa por este motivo.

O casamento no civil não concede qualquer benefício para a relação. Você paga, e paga caro, para que o cartório reconheça a sua união. Depois de casado, terá um papel na mão que na prática não acrescentará nada na sua vida. Ele não muda o que você sente ou deixa de sentir pelo seu companheiro ou companheira. Ele não define o que sua relação é ou deixa de ser.

Não preciso de um papel para provar nada a ninguém.

Por que casar? Segredo da longevidade
Senhora mais velha da Escócia (109 anos) revelou segredo da longevidade: "não casar". Fonte.

Festança

Muita gente casa porque sonha com uma festa. Muitas mulheres, por exemplo, sonham em se vestir de noiva, sonham em jogar um buquê para trás. Mas estas coisas são sonhos delas, ou sonhos fabricados? São fruto do que suas almas almejam, ou do que o comércio almeja?

Vejo muitos casais torrando todas as suas economias e comprometendo orçamentos futuros em nome de uma festa, de uma noite. Uma ocasião de bonança e alegria que ali acontece e ali morre, deixando para trás apenas uma única e passageira lembrança. Claro que se eu tivesse uma condição financeira bem avantajada, faria uma festa legal. Afinal, quem não gosta de festa? Mas me pergunto se um mergulhador que casa não preferiria levar sua amada para mergulhar em lugares maravilhosos. Ou se um cara infeliz no trabalho não preferiria usar a grana para fazer um curso ou mudar de carreira, garantindo que a felicidade no amor não seja atrapalhada por sua insatisfação profissional? Um casal trocou o casamento por uma viagem de volta ao mundo e declarou: "melhor decisão que tomamos!"

Há outras coisas que não entendo sobre festas de casamento. Vestidos de noiva custam fortunas e são usados apenas uma vez. Noivos nunca conseguem convidar só quem querem. Têm que convidar conhecidos para não deixar ninguém chateado, precisam convidar namorados e namoradas de todo mundo, têm que ligar para aqueles parentes distantes. Muitas vezes a festa vira uma ocasião para poucos chegados, mas muitos agregados. Todo mundo vestido de forma super desconfortável, muitos com vestidos e ternos caros alugados, sem poder se mexer muito para não estragar a roupa ou o cabelo. As mulheres tiram o salto assim que colocam o pé para fora do salão, os homens já vão soltando a gravata o quanto antes. Além de tudo, os noivos precisam passar a festa inteira fazendo social. Tiram um trilhão de fotos, recebem abraços sinceros e falsos na chegada e na despedida dos convidados, mas creio que por vezes só queriam poder comer ou descansar um pouco sem serem incomodados. No que deveria ser a celebração suprema do seu amor, se veem envoltos em obrigações sociais. No final das contas, muitas vezes a festa não é bem dos noivos. Mas a conta, essa pode ter certeza que é dos noivos sim.

Claro que entendo a celebração da união entre duas pessoas que se amam, mas questiono a formalidade e a tradição. A celebração precisa ser acompanhada de assinaturas no cartório? Para muitos casais, qual a real necessidade de um documento oficial comprovando sua ligação? A celebração precisa ser engessada, com a obrigatoriedade de cerimônias formais, a valsa, os padrinhos, o terno, o véu, o buquê e a grinalda? Por que todos devem celebrar da mesma forma padronizada, ao invés de celebrar da forma que mais gostam? Não me entra na cabeça que seguir uma formalidade secular seja essencial, necessário ou normal para que o amor seja consolidado.

Particularmente, prefiro acreditar que minha relação é consolidada a cada dia. A cada gesto de carinho, a cada sorriso e a cada momento de saudade. Eu não preciso de um papel, nem de uma aliança, nem de uma festa para me dizer o que minha relação é. A resposta está dentro de mim e a conheço muito bem. Não enxergo motivos no casamento.


Mas eu casei!

Mais precisamente na última sexta-feira, casei porque precisei.

Infelizmente, a validade da união estável não é a mesma de um casamento. A lei exige, para certas coisas, que haja uma ligação oficial, um carimbão do governo, comprovando a união. Perceba que se eu casar com alguém que conheci há 15 dias, aos olhos da lei minha relação é mais séria, mais oficial do que a de um casal junto por união estável há 50 anos. Não é uma visão míope das coisas?

Por motivos legais, entendo o casamento. O meu foi assim: tenho direito a ter minha cidadania italiana reconhecida e planejo que minha companheira, agora minha esposa, possa ter o mesmo direito, já que a lei permite. Mas a lei não enxerga relações não oficiais, por isso casamos no cartório. Dentro de 3 anos, ela terá direito à mesma cidadania que eu. Se estivéssemos juntos há 50, ela ainda teria que esperar 3 anos de casamento oficial para obter o que lhe é de direito. A lei a desserviço das pessoas.

Outras pessoas casam pela divisão de bens, para poder adicionar o cônjuge a um plano de saúde, a um seguro de vida ou coisas parecidas. Diversos são os casos em que a lei exige o casamento. Mas quando pedi a mão de patroa, expliquei que não casaria se não fosse pela cidadania. Não tive medo de falar porque isso não afeta em absolutamente nada o amor que sinto por ela. Casando ou não, o sentimento é o mesmo.

Por que casar? Meu casamento
Eu assinando o documento de bermuda, gravata e ainda machucado do acidente

Por que casar?

Se for por motivos legais ou religiosos, até entendo. Se você legitimamente, do fundo da alma, quer estar legalmente conectado com o seu amor, também. Caso contrário, pare e se pergunte: o casamento realmente vai melhorar alguma coisa para você? Se não vai, por que casar?

Casamento não é garantia de nada. Se você precisa provar seu amor para o mundo assinando um documento na presença de juíz e testemunhas, me parece que alguma coisa está errada.

Não sei você, mas reconheço o amor nos rostos de um casal, não pelo certificado de casamento.



Se você é casado ou sonha em casar, por favor não me entenda mal. Aquilo que é valido ou faz sentido para mim, pode não fazer para você. Cada indivíduo é diferente e devemos respeitar as opiniões e escolhas de cada um. Eu adoraria saber as suas! Deixa um comentário me dizendo se você concorda ou discorda! ;)


7 comentários:

  1. Oi, Pedro. Tudo bem?

    Olha, eu entendo sua visão e sei que ela reflete a de muitas outras pessoas, principalmente jovens, como nós. Mas acho que faltou um pouco no seu texto você colocar os pontos positivos de um casamento (embora tenha entendido que seu objetivo foi registrar sua opinião). O problema é que o texto ficou um tanto pessimista, sabe? Foi o primeiro que eu li hoje e, como eu me casei há menos de um ano, fiquei meio... blé. Kkkk Talvez seja falta de maturidade minha, não sei.

    Enfim, espero pelo próximo texto. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei ler seu comentário, Aline. É muito legal obter um ponto de vista diferente. De fato meu texto é bem parcial. Quis defender um argumento que não é o mais comum, por isso não faria muito sentido, na minha visão, ficar citando supostas vantagens do casamento se não tenho tanta convicção quanto à elas. Minha intenção não foi escrever um texto analisando o casamento e pesando os pontos positivos e negativos, mas somente oferecer o meu ponto de vista de por que o casamento pode ser uma furada. De qualquer forma, agradeço muito pelo comentário, de verdade! Se todo mundo sempre só concordar, fica difícil achar pontos para evoluir. Obrigado! :D

      Excluir
  2. Oi, Pedro. Tudo bem?

    Olha, eu entendo sua visão e sei que ela reflete a de muitas outras pessoas, principalmente jovens, como nós. Mas acho que faltou um pouco no seu texto você colocar os pontos positivos de um casamento (embora tenha entendido que seu objetivo foi registrar sua opinião). O problema é que o texto ficou um tanto pessimista, sabe? Foi o primeiro que eu li hoje e, como eu me casei há menos de um ano, fiquei meio... blé. Kkkk Talvez seja falta de maturidade minha, não sei.

    Enfim, espero pelo próximo texto. Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com você. Estou junto com a pessoa que eu gosto vai fazer 9 anos. Acho que não sou tão influenciada pelo meio em geral pois tenho uma família bem pequena, e devido a alguns problemas familiares, ninguém da muito pitaco.

    Se eu queria uma festa? Bom festas são sempre legais, então se não fosse afetar o orçamento significativamente sim. Faria um big churrasco de casório, de preferência com uma máquina de coca cola hehehe e muitas batatas fritas. Enfim cada um é cada um, as vezes a pessoa é feliz viajando, as vezes é feliz dormindo, as vezes é feliz casando ... o que importa, como vc disse, é que seja pela vontade dela e não por influência externa. talvez me case pra conseguir colocar o boy no plano de saúde, ou desconto em alguma coisa, rs mas concordo, pra mim o que importa é estar bem e feliz com a pessoa a qual está dividindo a vida comigo.

    Tudo de bom pra vcs :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por compartilhar sua história, Beatriz. Eu também faria uma festa legal se não fosse impedir que eu usasse minha grana para coisas que dou mais valor. De qualquer forma, você resumiu bem, o importante é ter vontade própria e ser feliz com a pessoa amada. Tudo de bom para vocês também! :D

      Excluir
  4. Olá,

    Me identifiquei muito com sua situação.
    Namoramos a mais de oito anos e precisamos oficializar isso em cartório agora por conta de planos de viagem, parecido com sua história.. Ambos pensamos como vc, da "não necessidade" de se esforçar tanto financeiramente para cumprir o protocolo de uma festa de casamento (gostariamos de fazer um festão, um dia, pois é realmente legal, mas só quando nossa situação financeira num dia bom de Deus nos permitisse faze-lo, com td a tranquilidade, por todos os motivos q vc mencionou).

    Porém, vamos casar no cartório. E incomoda q isso passe em branco. Estamos buscando uma forma legal de comemorar isso, mas é difícil.
    Pensamos no churrascão, mas tbm tem gastos e o lance da lista de convidados e de presentes ...nem temos como receber presentes de casa agora, queremos morar juntos só quando chegarmos no país q ir.. Além disso, isso deve demorar um pouquinho ainda, cerca de um ano, por exemplo. Parece estranho fazer festão de casamento e nada mudar depois..

    Queria muito comemorar com OS PROXIMOS sem as formalidades e chatices e injustiças financeiras de uma festa de casamento. Queria maximizar a parte boa de se celebrar (quer nada, né? rsrsr Mas é que gostaria de bolar uma forma legal de festejar mais do que cumprir o protocolo que eu não tenho $$ p cumprir). Enfim,...

    Vc poderia nos dizer como vcs fizeram para celebrar esse casamento, uma vez que casaram mesmo.. passou em branco? teve churrascão, viagem, festa, jantar com as pessoas próximas.. ?

    Desde já obrigada por compartilhar sua historia,
    Att.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo certo? Obrigado por compartilhar a tua história. Para mim realmente não incomodava o fato de "passar em branco". O que fizemos: casamos no cartório com a presença de uns 5-6 membros das famílias e depois fomos todos para um restaurante. Lá rachamos a conta entre todo mundo! haha

      Foi bem gostoso e temos algumas fotos para recordar com carinho, sem termos tido a necessidade de fazer nada grandioso. Como uma sugestão, para vocês talvez fosse legal fazer algo similar e o dia que tiverem mais grana e mais disposição pra uma festança, aí separem uma data redonda (tipo 1 ou 2 anos de casamento) e façam a festa. Me parece que ficaria bom para todos assim.

      Te desejo toda a felicidade com a sua pessoa amada! Obrigado pelo teu comentário!

      Excluir

Seu feedback é muito importante pra mim! Me diz aí o que você achou :))

2Bits. Tecnologia do Blogger.